Logo
Published on

Por que não dá pra jogar no wifi público da UFR? Tem como eles pegarem meus dados?

Authors

Por que a UFR bloqueia especificamente jogos?

Se você já tentou jogar qualquer jogo competitivo suficientemente famoso na rede aberta da UFR, percebeu que isso não é possível, e propositalmente. Por outro lado, caso você abra um site adulto, ele é exibido normalmente. Por que diabos a UFR permitiria a visualização de conteúdo adulto em sua rede, mas se importaria com seus alunos jogando? Desmistificando a primeira dúvida de cara, isso acontece, provavelmente, porque o fluxo de dados de um jogo, principalmente competitivo, é ordens de grandeza mais intenso e constante do que o de qualquer outro tipo de atividade na rede. Enquanto, num site ou app de mensagens ou site comum, o aparelho faz algumas requisições para o servidor por minuto, um jogo competitivo pode fazer dezenas de requests por segundo. A UFR, naturalmente, não tem intenção de coibir nenhuma atividade na rede que não seja ilegal. Mas, como citado nesse post, jogos multiplayer com muitos jogadores e eventos podem gerar problemas pros outros alunos que estão usando a rede pro seu objetivo primário, estudar.

Como a UFR sabe que o tráfego que está passando é de um jogo?

Será que a UFR pega cada pacote que passa pela rede e "fuça" nele pra descobrir do que se trata, e então bloqueia se suspeitar que é um jogo? Não, isso seria muito custoso. Na verdade, a UFR não precisa saber o que o pacote contém, só precisa saber pra onde ele vai. Suponhamos que você tem uma fábrica de trigo, onde a única função que sua fábrica cumpre é receber, processar e distribuir trigo. Se um caminhão é interceptado, em qualquer ponto entre e rodovia e sua fábrica, qual vai ser, invariavelmente, o conteúdo da carga dele? Isso mesmo, trigo! Na internet existe um registro de nomes apontando pra endereços... youtube.com, por exemplo, aponta pra um endereço digital. Se a UFR está enxergando que o seu request é pro domínio youtube.com, ela não precisa saber o que o request pede, ela já sabe que você está solicitando um vídeo! Se você está fazendo um request pra o servidor clashroyaleapp.com, por exemplo, ela não precisa saber o que você está pedindo, ela já sabe que você está jogando e vai bloquear esse request pelos motivos já citados! Ainda nessa questão, como a UFR sabe quais nomes de servidor são de jogos se eles são criados e descontinuados o tempo todo? É simples... existem listas atualizadas na internet com centenas, se não milhares de domínios voltados pra jogos, algumas mantidas e atualizadas por inteligência artificial. Basta a UFR importar uma dessas listas em sua ferramenta de firewall (Aliás, se você quer apostar comigo qual é, entre na banheira da UFR e vamos apostar, eu aposto R$10,00 no pfSense®) e pronto, está bloqueado.

A UFR consegue interceptar minhas informações?

Sim. Porém interceptar é a parte mais fácil de uma possível atividade de vigilância, na maioria das vezes isso é irrelevante. O WhatsApp, por exemplo, possui criptografia de ponta a ponta. Isso quer dizer que, por mais que um agente no meio dessa conexão pudesse interceptar um pacote, não conseguiria ler a mensagem, pois estaria criptografada, ilegível. Pra além disso, todos os sites que possuem certificado SSL (Quando está presente o famoso cadeado perto da barra de busca) também trafega dados criptografados. No mais, a UFR, ainda que quisesse, e não quer, saber o que você está acessando em detalhes, ela estaria limitada a saber qual ENDEREÇO você digitou na sua barra de pesquisa.

Outra pessoa, que não a UFR, conseguiria interceptar meus requests? E se eu não quiser que ninguém veja isso?

Sim. Já existem ferramentas simples e acessíveis pra fazer isso. Mas essas pessoas sofreriam das mesmas limitações que a UFR tem pra supostamente vigiar os estudantes. Se, tal como ter a UFR vendo os domínios que você acessa, isso te incomoda, basta usar uma Virtual Private Network (VPN). Em um posterior artigo sobre censura eu ensinarei a usá-las de forma segura, inscreva-se na nossa newsletter no fim da página pra ser notificado(a) quando esse post sair! Na prática, isso coloca outro ponto de conexão entre você e o site que você deseja acessar, e ao invés de saber todos os endereços que você quer acessar, a UFR só conseguiria ver o endereço da VPN. Estaria você mechendo no Tinder? Facebook? Jogando? Agora só você sabe... E os jogos são liberados do "bloqueio" que o Firewall da UFR impõe, já que ela não mais vê você fazendo requests pro servidor do jogo, mas somente pro servidor da VPN.

Isso torna minha atividade online anônima?

Não. o Seu IP, que a VPN passa a mascarar, é somente um dos fatores, um dos menos relevantes, pra definir sua identidade na internet. Apesar de ser uma ferramenta muito útil pra proteger a sua privacidade e liberdade, uma VPN não será suficiente pra te deixar impune de crimes cometidos.

Conclusão

O assunto de redes é bastante complexo, mas quando há tato pra explicá-lo, ele sana muitas dúvidas que as pessoa tem quanto à privacidade na internet. Caso você queira referência inteiramente técnica sobre o assunto, deixo referenciada essa playlist, que explica redes de forma mais detalhada, apesar de ainda resumida. Aqui me dispeço de vocês, juízo nas redes!

Inscreva-se na nossa newsletter!